Revista Campo e Negócio: Lavoura de feijão aumenta em 12,8% sua produtividade com o uso de fertilizante biológico.

A fazenda Santa Fé, em Acreúna (GO), investiu em uma nova tecnologia para aumentar a produtividade e a qualidade de suas safras de feijão carioca. O grão, que só é produzido no Brasil, também é o mais consumido nessa região.

Ao aplicar uma dose de 200 kg por hectare de Algen NP Bio (granulado), produto desenvolvido pela Oceana Brasil que contém a alga marinha Lithothamnium, o produtor conseguiu um aumento de sete sacas a mais de feijão por hectare. De forma geral, houve uma elevação de 12,8% na produtividade.

Com tratamento tradicional, o proprietário da fazenda Santa Fé conseguia uma média de 54,77 sacas por hectare; com a tecnologia da Oceana, 61,80 sacas. Este crescimento na produtividade representa um melhor retorno sobre o investimento para o produtor, que viu sua lucratividade aumentar em mais de 13%. Além disso, o estudo feito na fazenda com o Algen NP Bio mostrou um alto vigor nas plantas, que também tiveram um desenvolvimento mais acelerado (fechamento de linhas), em relação a aquelas tratadas com o (MAP).

“O uso de produtos biológicos para a fertilização do solo facilita a entrega dos nutrientes para as plantas, devido à presença de componentes orgânicos em sua estrutura celular” afirma Ricardo Macedo, diretor técnico da Oceana Brasil, especialista doutorado no uso da alga Lithothamnium para a agricultura. “Isso cria um diferencial frente a todas as outras fontes de cálcio disponíveis, garantindo plantas mais saudáveis, safras mais abundantes, e produtos melhores” garante o especialista.

Sobre o Algen NP Bio

Produto destinado ao mercado de cereais, tem formulação granulada e rica em nitrogênio e fósforo. Substitui o MAP. Faz parte da linha Algen, fertilizante mineral  simples, origem 100% biológica proveniente da parede celular micro porosa do Lithothamnium, com 32% cálcio e 2% magnésio. A porção orgânica do Algen é composta por aminoácidos, vitaminas e sacarídeos, com nutrientes equilibrados sem antagonismos iônicos.

Sobre o Lithothamnium

O Lithothamnium é uma alga marinha 100% natural, de origem orgânica, sem contraindicações. Além de rica em cálcio e magnésio, possui mais de 70 nutrientes, como ferro, manganês, zinco, boro, selênio, molibdênio, cobre, silício e estrôncio. É extraída, beneficiada e comercializada pela Oceana Brasil em toda a América Latina, Europa e Estados Unidos. Os produtos derivados da alga estão crescendo rapidamente. Além de indicada como fertilizante para a agricultura, também pode ser usada em produtos de nutrição animal, pela indústria farmacêutica, para suplementação humana, e até para a despoluição de rios.

Alga marinha calcária, conhecida há mais de 200 anos, vem sendo explorado nos últimos 30 anos por países da Europa e Ásia, para oferecer nutrição animal, vegetal e humana. Produto nobre, possui alta reatividade e nutrientes altamente solúveis e naturalmente equilibrados pelo meio ambiente. Os procedimentos industriais adotados pela Oceana Brasil preservam intactas todas as propriedades físicas, nutricionais, orgânicas e biológicas do Lithothamnium.

Sobre a Oceana

A Oceana Brasil é uma empresa 100% nacional com tecnologia na extração sustentável e beneficiamento da alga marinha Lithothamnium. Sua jazida está localizada em uma região de correntes marítimas e incidência solar únicas no mundo. Com linhas de produtos para nutrição animal e fertilização agrícola, atende ao mercado nacional e exporta seus produtos para diversos países da Europa, América Central, EUA e Ásia. A atividade industrial da Oceana é ecologicamente correta e preserva as características únicas de sua jazida. A companhia investe em programas de monitoramento de vida biológica, qualidade de água, controle ambiental e ações sociais com a comunidade local a fim de desenvolver a região de forma sustentável.